Comitê de Finanças e Investimentos da AS aponta resultados e perspectivas

No último dia 27 de novembro, aconteceu a reunião do Comitê de Finanças e Investimentos da Associação Samaritano. O encontro foi a oportunidade de apresentar os resultados de 2018 aos associados, além de apontar tendências para 2019.

Este artigo traz as principais pautas abordadas durante o encontro do Comitê de Finanças e Investimentos. Dentre os temas contemplados, destacam-se a constituição e situação atual do fundo patrimonial (endowment), os investimentos em projetos e o cenário econômico brasileiro para 2019.

O que é o Comitê de Finanças e Investimentos?

O planejamento financeiro e patrimonial da Associação Samaritano é a principal atribuição do Comitê de Finanças e Investimentos. Os seis membros que compõem o grupo são associados que deliberam sobre temas relevantes para a estabilidade financeira da instituição.

George Osborn, Superintendente da Associação Samaritano, fez a abertura do encontro e apresentou os temas a serem abordados

Pelo menos duas vezes por ano, o Comitê promove um encontro para o qual todos os associados e conselheiros são convidados. Na abertura da reunião, George Osborn, Superintendente da Associação Samaritano, apontou a importância desses encontros para que todos os associados estejam a par da administração patrimonial.

Cristina Betts, Diretora de Finanças da Associação Samaritano, explicou como é feita a gestão do fundo patrimonial.

A gestão do fundo patrimonial

Formado a partir da venda do Hospital Samaritano, em agosto de 2016, o fundo patrimonial da Associação Samaritano tem a missão de perpetuar os investimentos em projetos de filantropia. Sua gestão é baseada no modelo de endowment, em que os ganhos obtidos a partir das aplicações são realocados no fundo para garantir a sua perenidade.

Durante a reunião do Comitê de Finanças e Investimentos, a Diretora de Finanças da Associação Samaritano, Cristina Betts, explicou a estratégia adotada para perpetuar o fundo patrimonial.

Foi estabelecida uma meta de rentabilidade de longo prazo equivalente a 5% do índice da inflação medido pelo IPCA.

Já a política de resgate é conservadora, pois visa preservar o patrimônio acumulado de forma perpétua. Somente a média anual do rendimento real dos últimos 36 meses pode ser resgatado para o fomento de projetos, sempre respeitando o limite máximo de 5% do valor total do fundo.

Para que as diretrizes sejam seguidas e os investimentos rendam da melhor forma possível, a Associação Samaritano trabalha com três gestores: Santander, BNP e Pragma. As instituições são responsáveis por gerir fatias do fundo e adequá-las às oportunidades de mercado à luz da meta estabelecida.

Endowment no Brasil e no mundo

Durante a reunião do Comitê de Finanças e Investimentos, dois profissionais da consultoria Pragma contribuíram com a sua visão a respeito da gestão patrimonial. A empresa tem um trabalho bastante focado em endowment, com o gerenciamento de montantes vultosos para preservar o patrimônio.

Diego Martins, sócio da consultoria Pragma, trouxe um panorama bem completo da gestão de endowments

Um dos temas tratados foi a história dos endowments no mundo, cujos primeiros registros têm mais de dois mil anos, na Roma Antiga. Já no século XII, o Hospital da Santa Cruz, em Winchester, Reino Unido, deu início ao seu endowment, que se mantém até hoje e demonstra como a boa administração pode, de fato, perpetuar um fundo patrimonial.

Atualmente, os dois maiores endowments do mundo estão nos Estados Unidos. O maior é o da Fundação Bill e Melinda Gates (US$ 50 bilhões), seguido pela Universidade Harvard (US$ 39 bilhões).

No Brasil, a cultura do endowment vive fase de afirmação. Ainda não há uma legislação específica, mas existe a expectativa para o crescimento desse tipo de gestão financeira para possibilitar ações de filantropia como as que a Associação Samaritano promove.

O cenário econômico para 2019

Outro tema relevante apresentado no Comitê de Finanças e Investimentos pela economista e sócia da Pragma, Marta Zaidan, foi o atual cenário econômico brasileiro e mundial. A perspectiva internacional aponta para possíveis instabilidades no mercado financeiro, decorrentes de governos com características populistas.

No Brasil, existe a expectativa de um governo de caráter mais liberal com a eleição de Jair Bolsonaro. Em teoria, isso é positivo para os investimentos.

Os projetos apoiados pela Associação Samaritano

Durante sua explanação, Cristina Betts abordou também o momento atual dos investimentos da Associação Samaritano em projetos na área da saúde. Grande parte dos ganhos do fundo patrimonial tem sido destinada ao custeio dos projetos de transplante renal, que são caros e complexos.

Existe a perspectiva de encaminhar esses projetos para outras instituições. Com isso, será possível apoiar causas mais focadas em prevenção de doenças e promoção da saúde – a missão principal da Associação Samaritano.

O Comitê de Finanças e Investimentos demonstrou que a performance do fundo patrimonial desde a sua constituição foi bastante satisfatória, com resultados que excederam a meta estabelecida. O foco principal segue na perpetuação do fundo patrimonial para garantir a ação filantrópica da Associação Samaritano por tempo indeterminado.