Rede Temática de Saúde apresenta importantes avanços

No final de janeiro, mais de 20 representantes de fundações, associações, institutos, hospitais e empresas que atuam na área da saúde se reuniram para o primeiro encontro de 2019 da Rede Temática de Saúde, realizado na sede da Associação Samaritano.

Sob o apoio do GIFE (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas), a rede foi criada em 2014 para fomentar iniciativas que possam transformar a saúde dos brasileiros para melhor. A reunião foi fundamental para determinar os próximos passos da Rede Temática de Saúde. Durante o encontro, várias pessoas contribuíram com ideias que resultaram em definições que vão nortear o trabalho da RT.

A abertura do evento

Em um primeiro momento, o encontro foi conduzido por Gustavo Bernardino, Coordenador de Políticas Públicas do GIFE – entidade que funciona como uma espécie de catalisador. Ele destacou o estágio atual da RT de Saúde, que está sob a coordenação da Associação Samaritano e da Droga Raia / Drogasil a partir do segundo semestre de 2018. Desde então, foram realizadas outras duas reuniões para desenhar o futuro da Rede Temática.

O mapeamento de OSCs

Gustavo destacou a importância de mapear as OSCs (Organizações da Sociedade Civil), o que traz mais agilidade à busca por boas instituições que possam ser o alvo de financiamentos com foco em causas sociais. Com a ajuda do IPEA (Instituto de Pesquisa Economia Aplicada), um amplo mapa foi desenhado em 2015, com mais de 400 mil OSCs registradas.

Nos próximos meses, um dos objetivos é enriquecer esse mapa com a ajuda de membros da Rede Temática, que poderão acionar o seu networking para ampliar as possibilidades de parcerias. Ter um mapa robusto é considerado o passo inicial para promover as iniciativas transformadoras na área da saúde.

A estrutura e os desafios da saúde no Brasil

A segunda parte do encontro da Rede Temática de Saúde foi conduzida pelo Dr. Carlos Roberto Del Nero, consultor da área da saúde há 25 anos e muito experiente em gestão da saúde.

Durante a sua explanação, o médico descreveu a nossa complexa estrutura de saúde e explicou que a participação estatal é intensa nos três níveis de governo: federal, estadual e municipal. Há muitos atores que nem sempre atuam de forma coordenada.

Um aspecto fundamental da apresentação de Del Nero foi a observação do aumento progressivo do envelhecimento da população brasileira, que eleva os custos hospitalares.

Neste cenário, a integração entre público e privado se faz necessária, com uma ampla transformação na área da saúde. A Rede Temática de Saúde pode ter participação importante em um ecossistema que se mostra desafiador.

Os insights para a Rede Temática de Saúde

Após a apresentação do Dr. Del Nero, a reunião se voltou diretamente para os desafios da Rede Temática de Saúde. Foi o momento em que todos os participantes tiveram a oportunidade de se manifestar para contribuir com ideias. O planejamento da RT começou a ser desenhado a partir dos seguintes insights:

  • Fortalecimento da gestão do serviço de fluxo de informação na área da saúde
  • Inversão da pirâmide populacional – a chave está na questão etária
  • Promoção da saúde e prevenção de doenças são tão importantes quanto a assistência
  • Tratar a doença é caro, promover a saúde não é tão caro (promoção e prevenção)
  • Advocacy (influência política) diante da rotatividade de ministros da saúde
  • Saúde mental é pouco abordada e pode ser mais bem trabalhada
  • Desigualdade social (questão transversal característica do Brasil)
  • Agenda 2030 (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável)

O propósito e a missão da Rede Temática de Saúde

Todos esses insights foram propulsores na definição do propósito da Rede Temática de Saúde, um dos grandes objetivos da reunião. A dinâmica que deu vida ao propósito da RT contou com a colaboração de todos os presentes, que escreveram a sua ideia e leram para a mesa.

Foram destaques temas como promoção da saúde, prevenção de doenças, união de esforços, universalização da saúde, redução de desigualdades, qualidade de vida, sustentabilidade, parcerias e prioridades. Após um amplo debate, todos esses insights originaram o propósito da Rede Temática de Saúde: “Unir esforços para melhorar a saúde no Brasil”.

A partir do propósito, definiu-se também a missão que será defendida pela RT de Saúde: “Mobilizar e articular parcerias para qualificar o investimento social privado em saúde”. Estabelecer o propósito e a missão foi um grande avanço para a Rede Temática de Saúde, que parte desse norte para traçar os passos seguintes em seu planejamento.

Quais são os próximos passos para a Rede Temática de Saúde?

A última parte da primeira reunião da RT de Saúde em 2019 foi focada nos próximos passos a serem dados. Novamente, todos puderam elencar ideias e objetivos para garantir que a Rede avance durante este ano. As iniciativas a serem implementadas nos meses que virão são as seguintes:

  • Buscar palestrantes para temas específicos
  • Criar subgrupos de trabalho
  • Enriquecer o mapa de OSCs do IPEA
  • Encontrar parcerias para atuação conjunta em fatores de risco
  • Identificar desafios comuns a todos os integrantes da RT
  • Difundir conhecimento e estruturar propostas conjuntas
  • Definir e priorizar temas em diferentes áreas da saúde
  • Incentivar e colaborar para o desenvolvimento de novas tecnologias e soluções inovadoras
  • Promover parcerias para ensino e pesquisa com foco na melhoria da saúde
  • Articular a Rede Temática com outros atores do setor de saúde

Com todas essas iniciativas previstas, a reunião foi concluída com êxito e com a perspectiva de importantes avanços para a Rede Temática em 2019. Agora, o objetivo é tirar as ideias do papel dar vida a novos projetos que possam transformar a saúde dos brasileiros.

Por fim, ressaltou-se o caráter colaborativo da Rede Temática de Saúde. O Dr. José Luiz Egydio Setúbal, presidente do conselho da Fundação que leva o seu nome e integrante da RT, afirmou que “a rede é uma construção coletiva e que todos devem trabalhar juntos”.